Home > #HarmoniaEvolução > A fórmula da felicidade: conheça o trabalho de Rogério Félix à frente da harmonia da Dragões da Real

A fórmula da felicidade: conheça o trabalho de Rogério Félix à frente da harmonia da Dragões da Real

Foto: Daniel Sobrinho

Uma das mais novas agremiações do carnaval, a Dragões da Real é conhecida pelo lema “Lugar de Gente Feliz”. E Rogério Felix, diretor de harmonia da escola, conversou com a equipe da SASP e revelou o segredo de como conquistar uma comunidade e desempenhar um trabalho que mesmo recente – em comparação aos muitos anos das agremiações tradicionais do carnaval – virou referência na folia da cidade.

Nos últimos anos as escolas vêm apresentando desfiles cada vez mais nivelados, o que resulta em uma apuração cada vez mais acirrada, com o título decidido nas últimas notas. Rogério acredita que o dever da harmonia é zelar por um desfile impecável e, às vezes, nem todos compreendem isso.

“Carnaval é festa popular e alegria, porém o desfile oficial de uma escola de samba é uma disputa. Se não quiser seguir as diretrizes do projeto de carnaval da escola, é só desfilar nos blocos de rua que não disputam nada e é só diversão”, ressaltou.

Mesmo com a competição, Dragões é referência em cordialidade
Ainda que o carnaval seja uma competição, a Dragões é referência em cordialidade com a sua comunidade. Ao longo do ano, a escola realiza festas, ações sociais e feijoadas que aproximam o público e fideliza sua relação com os componentes. Rogério revela o segredo da Caverna do Dragão ser o Lugar de Gente Feliz. “Respeito, empatia e reciprocidade. Cuidamos e nos dedicamos o ano todo e isso constrói uma comunidade dedicada e feliz”.

Rogério Félix não acredita em “facilidade” para atingir as notas máximas nos quesitos harmonia e evolução. O trabalho duro e as cobranças de forma explicativa são o caminho. “É muito trabalho e reunião de planejamento. Não é somente pedir para cantar e sim explicar porque precisamos cantar mais”, comenta. O diretor também acredita no diferencial de sua comunidade. “Temos hoje uma comunidade guerreira que leva o projeto a sério, é dedicada, feliz e leal”.

Rogério Félix, de chefe de ala coreografada a referência como diretor de harmonia
Rogério, porém, não começou seu trabalho agora. Com 30 anos de carnaval, o diretor começou como chefe de ala coreografada na Leandro de Itaquera e revela que foi ali que recebeu o incentivo que precisava para descobrir a paixão em ser harmonia.

“Em um determinado ano, o embaixador do samba Edson do Prado me disse que havia chegado a hora de assumir uma responsabilidade ainda maior. Ele disse que confiava em mim e que eu iria conseguir”, comentou Rogério.

Com passagens por Leandro de Itaquera, Mocidade Alegre e Tom Maior, Rogério Félix acredita que falar sem apresentar dados e fundamentos é uma espécie de ‘achismo’ quando o assunto é o Manual do Julgador. “A Liga vem trabalhando ano após ano. Estamos no caminho certo que é de treinar, avaliar e dar feedback aos jurados na intenção de prepará-los”.

A Dragões da Real será a terceira escola na sexta-feira de carnaval, com o enredo “A Revolução do Riso: A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria”

SÉRIE HARMONIA E EVOLUÇÃO 

NATI, COLORADO DO BRÁS

Botequim da SASP