Home > SASP > ESPECIAIS > Colunistas > ” Coluna Di Quinta” Prosas e versos populares para nordestinos corações de sabores e lugares!

” Coluna Di Quinta” Prosas e versos populares para nordestinos corações de sabores e lugares!


Olá, caros leitores! Hoje é dia de coluna SASP e resolvi promover um singelo presente para essa gente tão arretada e especial!

Os retirantes nordestinos pertencem ao nosso imaginário popular e já se transformaram em patrimônio carnavalesco. Enredos marcantes passaram por terras Paulistas como Acadêmicos do Tucuruvi (em 2011, uma homenagem ao Nordeste) e Dragões da Real (em 2017, cantando “Asa Branca” na avenida). Momentos incríveis que coloriram o Anhembi com figuras ilustres como João de Barro e Gonzagão!

Vale ressaltar também a belíssima homenagem ao Maranhão produzida pelo Acadêmicos do
Tatuapé no último Carnaval. E justamente com um belíssimo trabalho de Wagner Santos, um carnavalesco nordestino.

Esses exemplos apenas reforçam esse caráter atemporal do samba em quebrar barreiras e fronteiras, aproximar diferentes cortejos e foliões para contar uma mesma história. Memórias de lutas, glórias e de um povo tão festeiro!
A própria história do samba tem influência direta da diáspora baiana, com a figura de uma negra mulher nordestina que alimentou em seu quintal, a linda semente do samba!

É nesse sentido de inclusão e gratidão que deixo versos para homenagear este povo! E aproveito pra dizer que o nordeste está mais do que presente no enredo da escola carioca Paraíso do Tuiuti! Através da crítica política e social tão necessária para construção constante de nossa própria identidade! Uma história mais do que curiosa sobre um bode vereador que foi eleito como forma de protesto em Fortaleza.

Mais uma lembrança de que o nordestino merece respeito! Essa gente de tamanha vanguarda merece esse abraço do sambista na luta contra o preconceito!

.
É protesto em votação! É bode na cabeça para ensinar sagrada lição! (Yuri Coloneze)
.
Essa história tão instigante
Um convite para o caro leitor conhecer melhor o retirante
Aquele que constrói ilusão e cidade
Faz do barro sua arte da peculiaridade
E do chapéu de couro um símbolo da própria dignidade
.
E foi lá na terra de Iracema
Que brilhou forte o meu poema
Falam tanto em cabresto na votação
Mas essa história fornece outra opção
Exemplo de resistência em feitio de coroação
.
Bode vereador na cabeça
Prá vereador, não se esqueça!
Passos curtos que atravessam tanta história
Insatisfação de um povo que não guardou a memória
Contra o sinhô de palanque em revelação de pouco efeito
Prefere o humilde animal em busca de melhor direito
.
Cordel encantado tão enraizado
Retrata um importante pedaço desse chão que carrega tanto aprendizado
De santas, porcas e autos
Olhar eterno de Ariano através de seus inesquecíveis arautos
De dora doralina e três Marias em singelas nuances
Rachel de Queiroz e o brilho de seus romances
.
O bode é puro retrato da raiz nordestina
De tanta vida e obra severina
Da beleza popular em tanta lamparina
Do sorriso que supera o atemporal preconceito
E espalha a simplicidade em prol do cultivo ao respeito
Dessa gente que é referência
Do verso, voto, prosa e música em tantas arretadas competências

Botequim da SASP