Home > Carnavais > Confira os enredos das escolas da primeira noite de desfile

Confira os enredos das escolas da primeira noite de desfile

Hoje se inicia a maratona de desfiles das escolas de samba de São  Paulo, e a SASP trouxe em resumo o que cada agremiação irá apresentar nessa noite, dia 24 de Fevereiro.

Abrindo o Carnaval, a Tom Maior contará a história da famosa cantora nordestina, Elba Ramalho. O carnavalesco “Cebola” trará uma viagem ao nordeste, destacando a cultura e religião que os cercam, inclusive o folclore. Em meio a todo esse cenário, nasce a menina Elba, que ao som de Luiz Gonzaga, cresce e se torna uma mulher guerreira e com voz marcante. Durante o seu desfile, a Tom Maior irá coroar Elba Ramalho como embaixadora do folclore nordestino e rainha do carnaval.

No carnaval de número 50, a Mocidade Alegre entra na avenida logo após a Tom Maior. A escola trará o famoso lema da Presidente Solange Bichara como enredo, “A Vitória Vem da Luta. A Luta Vem da Força. E a Força… da União”. A montagem da agremiação será dividida em cinco etapas, cada uma separada com uma alegoria, e acompanhada pela Deusa Grega, Vitória. A “Morada do samba” irá levar os sambistas aos primórdios da civilização, onde um menino busca o segredo de como ser um campeão. Ele aprenderá que pra ser forte precisa de união, e com esse clima a Mocidade encerra seu desfile.

 

Cercada de polêmicas e expectativas, A Unidos de Vila Maria contará os trezentos anos da aparição da imagem de Nossa Senhora de Aparecida. Assinando o desfile, Sidney França traz um carnaval de súplicas ao sambódromo do Anhembi, sendo separados em cânticos de “Aparição”, “Devoção”, “Luz”, “Milagres”, “Proteção” e encerrando com “Paz”, onde a agremiação pede a verdadeira paz para o mundo inteiro.

Por volta das 02h45 da madrugada, a vice-campeã do carnaval passado entra na avenida. Prestando uma homenagem ao continente Africano, a Acadêmicos do Tatuapé traz um desfile destacando a figura materna do continente, contando sua história desde os primórdios até os dias de hoje. A Tatuapé encerra seu desfile pedindo para que o Brasil acolha todos os filhos da Mãe África, chamados de “Meninos da Terra do Ouro”.

A Gaviões da Fiel entra como a quinta agremiação da noite. Retratando as dificuldades que um imigrante sofre ao vir para a metrópole paulista, a escola alvinegra traz o enredo: Com as mãos e as garras de um povo sonhador, surge o contraste de uma nova metrópole – Sampa, lugar de sonhos, Oportunidades e esperanças, assinado pelo carnavalesco Zilkson Reis. O desfile começa com a dor da despedida e encerra com os resultados da imigração, misto de culturas, artes, tradições, sabores, cores e ritmos.

Com um carnaval muito colorido, a Acadêmicos do Tucuruvi traz a arte de rua como enredo para seu desfile. A contagem da história começa nos tempos primórdios, onde será contada a necessidade do ser humano em se comunicar, e buscar soluções através da sua criatividade. E encerra seu carnaval com uma conclusão positiva da cidade, onde a presença do cinza é substituída pelas mensagens coloridas dos artistas espalhados pela capital.

Encerrando a noite de desfiles do Anhembi, a Águia de Ouro entra na avenida contando a história dos cães e animais de estimação. O enredo foi desenvolvido em forma de homenagem, onde buscam através do seu desfile conscientizar sobre a violência sofrida pelos animais. A agremiação da Pompéia não levará plumas, conscientizando ainda mais sobre a mensagem passada.

A primeira agremiação entra na avenida às 23h15, e você pode acompanhar todos os comentários através do Programa Sintonia SASP.

Botequim da SASP