Home > Carnavais > Carnaval 2017 > Por trás da caneta! – Marcelo Casa Nossa conta o nascimento do samba da Vai-Vai

Por trás da caneta! – Marcelo Casa Nossa conta o nascimento do samba da Vai-Vai

Hoje no quadro Por trás da caneta, conheceremos a obra da Vai-Vai para o carnaval 2017. A escola trará para a avenida o enredo No Xirê do Anhembi, a Oxum mais linda surgiu… Menininha, mãe da Bahia, Ialorixá do Brasil , e quem nos conta os segredos da obra, é Marcelo Casa Nossa, um dos autores da obra ao lado de  Edegar Cirillo, André Ricardo, Dema, Leonardo Rocha,  Marcelão e Rodolfo.

Vamos conhecer mais dessa obra, que foi eleita pelos leitores da SASP como a melhor do grupo Especial em 2017.

SASP: De que modo foi feita a confecção da obra e montagem da parceria? Realizam quantos encontros? Como eram os encontros?

Marcelo Casa Nossa: A partir do momento que resolvemos fazer o samba, a ideia foi fechar a parceria, depois do time montado, marcamos as primeiras reuniões. Fizemos umas 6 reuniões para batermos o martelo, fora os grupos de whats. Nas reuniões prevaleciam, alegria e alto astral impressionantes, tudo foi feito em comum acordo, sempre colocamos o resultado acima de qualquer vaidade.

SASP:  Conte alguma particularidade da obra para os leitores da SASP, alguma situação engraçada ou até mesmo, cite algum trecho do samba que acabou não indo para a letra final apresentada.

Marcelo Casa Nossa:Bom, vamos La… Guilherme e gêmeos trouxeram o refrão de cabeça, que hoje é oficial, porem acabei mudando pra menor, mas não rolou, a verdade, é que tínhamos 3 refrões, já tinhamos decidido por um deles, quando eu cantei errado o refrao de cabeça, o Guilherme virou pra mim, rindo e falou: Agora vc me deixou na duvida, acabou ficando refrão que esta hoje, por um erro grosseiro meu.

SASP: Conte aos leitores da SASP, de forma detalhada, como se deu o processo de escolha do samba, passando pelas dificuldades do trabalho de quadra e escolha dos cantores (caso tenha sido eliminatória na quadra) ou como lidavam com a expectativa da escolha (caso tenha sido uma disputa fechada)

Marcelo Casa Nossa:Acho que o concurso da Vai Vai foi o mais disputado do ano, ótimos sambas dividiram aquele palco com a gente, todos sabem que não fomos recebidos da melhor forma no concurso, coisa que hoje já mudou demais, temos muitos amigos na escola, superamos esse momento delicado. A escola abraçou o samba desde a primeira eliminatória, foi emocionante. Desde a confecção do samba, já sabíamos que o Darlan seria um dos cantores, Thiago Brito veio depois. Na moral? No momento que deu o resultado, parecia que íamos explodir de alegria. Um dos momentos mais felizes das nossas vidas.

SASP: De que modo avalia a importância da gravação? Que cuidados devem ser tomados a fim de entregar o samba da melhor maneira para a escola?

Marcelo Casa Nossa:A gravação tem que ser feita na melhor qualidade possível, afim de mostrar a valentia da obra. A primeira impressão é a que fica.

SASP: Após a vitória, ajustes costumam ser feitos na obra, houve algum ajuste em sua obra? De que modo o compositor participa desse importante momento?

Marcelo Casa Nossa:Só mudou um bis na segunda, por que acabou sendo um apelo popular. De resto, não mudou nenhuma palavra.

SASP: Muito se questiona a funcionalidade de sambas na avenida. Em alguns casos, sambas com qualidade reconhecida, não tem o mesmo desempenho no desfile que sambas menos comentados no período anterior ao carnaval, como você entende essa questão?

Marcelo Casa Nossa: Samba bom é o que funciona, agora, emoção é um quesito a parte, se conseguir unir as duas propostas, fica de bom tamanho. O samba bom, perdura, acho que obras de menos qualidade são descartáveis demais.

SASP: Conte ao leitor da SASP, um pouco da sua trajetória como compositor, passando pelo início da sua carreira e lembrando as obras que já foi autor. Dentre as suas obras, você tem algum samba preferido?

Marcelo Casa Nossa:Embora tenha ganho por alguns anos seguidos, minha carreira como produtor é mais marcante do que como compositor, produzi quase 50 albuns, entre CD’s e Dvd’s, grande parte de sambas enredo. Não vou falar meus sambas favoritos pois todos foram importantes, mas alguns marcaram, X9 1997, Amazonia a Dama do Universo, o primeiro titulo da escola e palmeirense que sou, o samba da Mancha do centenário do Palmeiras, dois que eu gosto muito, esse da Vai Vai é embaçado, acaba comigo, eu sou isso ai.

SASP: A SASP deixa aberto o espaço para agradecimento a todos os parceiros e qualquer pessoa tenha feito parte dessa vitória, parabéns!

Marcelo Casa Nossa: Primeiramente agradeço a vocês pelo empenho com a nossa arte. Agradecemos tos que de forma direta ou indireta nos ajudaram nessa caminhada. Nossas famílias que nos aguentam até não dar mais. Aos leitores da SASP. Toda a diretoria da Vai Vai e em especial a comunidade alvi negra de Bela Vista, vocês foram a alma do nosso trabalho.

Obrigado!

 

Botequim da SASP