Home > Carnavais > Interprete e casal são os destaques do desfile da Colorado do Brás!

Interprete e casal são os destaques do desfile da Colorado do Brás!

Sertanejo e arretado, assim a Colorado do Brás fez seu desfile no grupo de acesso. Com o enredo Luz, Câmera e Ação… A colorado apresenta: A Roliúde do Sertão, a agremiação trouxe muita cor em suas alegorias e a irreverência nordestina no clima da escola.

Destaque para a emoção do intérprete Chitão, e pro casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Comissão de frente

A comissão de frente, coreografada pelo Wangles Kelson Prudênio, veio representando a parte em que “O sol lambe a terra de lampião”, onde os componentes vinham retratando a seca e um bailarino representado o sol, com uma fantasia que iluminava bastante com a luzes do sambódromo.

Em determinadas partes, a ala sofreu com a falta de sincronismo de seus componentes, mas não comprometeu o decorrer da coreografia

Casal de Mestre-sala e Porta-Bandeira

A dupla Ana Paula e Ruhanan, principal casal de mestre-sala e porta-bandeira da Colorado, trouxe o eclipse de Bibiu em sua fantasia. A divisão entre o amarelo solar e o azul noturno embelezou ainda mais o experiente casal, que fizeram um desfile alegre, e não economizaram nos sorrisos.

Samba e Bateria

A performance do Chitão foi admirável, o cantor trouxe uma arrancada carregada de emoção e manteve até a linha final. As maiorias dos cacos foram realizados em cima da melodia da canção, fugindo do padrão e trazendo seu próprio estilo.

A bateria Ritmo Responsa, comandada pelos mestres Bola e Allan Meira, trouxeram apagões e bossas trabalhadas no contra tempo. Os surdos de marcação teve papel fundamental nas paradinhas, assim como o desenho de terceira, que juntos trouxeram um contraste diferente de paradinha.

Os xequerês da batucada são um show a parte, levada diferente e consistência no ritmo é sempre encontrada na agremiação.

Harmonia e Evolução

O temido efeito sanfona foi encontrado nas alas da Colorado do Brás, algumas alas andavam e paravam sucessivamente, fazendo a parte de trás seguir atrasadamente o andamento.

A escola cantou pouco o samba, não teve muitos pontos de explosão na avenida. Porém algumas alas coreografadas foram um show a parte, encontrada á frente da terceira alegoria, os componentes realizava acrobacias e levantaram o público ainda presente.

Fantasias e Alegorias

As fantasias trouxeram bastante cores, principalmente no primeiro setor, onde elementos de circo foram bem usadas. Algumas alas sofreram com fantasias, como na bateria, onde os ritmistas vieram com adereços na cabeça diferentes do padrão.

O autor do livro que inspirou o enredo da agremiação veio no abre-alas, Horemo Fonseca estava extremamente feliz, esbanjando simpatia e carisma para todos que o cercava. A alegoria também contou com artistas de circos, em diferentes atividades.

Enredo

O enredo desenvolvido por Thiago Morganti, Ronny Potolsky e João Marcos foi muito bem separado. A leitura visual estava clara para os cientes da obra, e o final foi marcado pelo “final de cinema”, onde tudo termina de forma positiva.

Botequim da SASP