Home > Carnavais > Carnaval 2018 > “Não queremos ser vistos como a coitadinha do carnaval – Confira a entrevista com a dupla de presidentes da Colorado

“Não queremos ser vistos como a coitadinha do carnaval – Confira a entrevista com a dupla de presidentes da Colorado

Engasgados com o último resultado do carnaval, quando a escola ficou na terceira colocação do grupo de Acesso, o presidente e o vice-presidente da Colorado do Brás, Antônio Carlos Borges (Ká) e Gilson Ramalho, respectivamente, conversaram com exclusividade com a reportagem da SASP.  

Pra quem não se recorda, na apuração de 2017, o desempate na última nota, no quesito samba-enredo, adiou o sonho da agremiação de voltar a desfilar nas principais escolas de São Paulo, e sobre o clima interno da agremiação Gilson afirma: “A gente e os outros reconhecem que a Colorado está numa crescente. As pessoas vêm acreditando mais no nosso trabalho e a comunidade está bem mais confiante. O resultado do último carnaval acaba contribuindo para isso. O clima está bem bacana pra gente poder continuar o trabalho esse ano”.

O presidente da escola completou: “Não acho que engasgado seja a palavra certa, mas estamos frustrados, chateados porque não esperávamos ser punidos em samba-enredo. Tivemos uma surpresa positiva com os outros quesitos. Mas hoje estou animado e confiante para o próximo carnaval”.

Presidente Ka (esquerda) e Gilson (Direita) (foto Líbini Araújo/ Colorado do Brás)

Com pouco tempo de trabalho da atual gestão, a agremiação evoluiu para um nível que a deixou entre as fortes candidatas ao Acesso em 2018. “Eu não faço nada sozinho, devo isso muito a minha diretoria e as pessoas que me cercam. O segredo é o trabalho, comprometimento, amor pelo pavilhão acima de tudo. Toda nossa diretoria não trabalha exclusivamente para o Carnaval, então o amor tem que estar muito envolvido”, explicou o presidente.

Além da confiança com a comunidade, Gilson também acredita no poder e na qualidade do samba enredo da vermelho e branco. “A Colorado graças a Deus vem sendo agraciada com bons sambas nos últimos anos. Ano passado, tivemos algumas decepções com notas, mas aquele samba teve um consenso geral da comunidade. Esse ano, modéstia a parte, temos um bom samba, e acho que é meio caminho andando. A disputa foi difícil, mas a comunidade abraçou e agora é trabalhar né”, finalizou.

Além do trabalho interno de comunidade e da obra cantada na avenida, o trabalho de barracão é um fator importante para um carnaval impecável. “Eu vou ser honesto, nós tivemos alguns percalços em relação à verba, não esperávamos isso, mas nosso barracão está andando. A Colorado é uma escola que tem que trabalhar com os recursos que tem na nas mãos. Mas podem esperar que vamos colocar um carnaval muito competitivo na avenida de novo”, conclui Gilson.

Mesmo com todos os obstáculos a serem enfrentados, a entidade do Brás segue com expectativas positivas para o carnaval de 2018:

“Não vejo a Colorado como a favorita, e sim uma das. Estamos trabalhando de igual para igual. Não queremos ser vistos como a coitadinha do carnaval, que não tem quadra e patrocínio. Estamos focados em fazer um carnaval diferenciado”, afirma Ka.

Buscando o título do carnaval do grupo de acesso, a entidade do Brás será a 4° agremiação a desfilar no sambódromo do anhembi, com o enredo: AXÉ – Caminhos que te levam a fé, desenvolvido pelo carnavalesco Leonardo Catta Preta.

Finalizando a entrevista, a dupla de presidentes da Colorado do Brás agradeceu a comunidade e deixou recado.

Ka: “Desejo muita paz e saúde nesse fim de ano. Que esse ano seja melhor pra nós, em todos as partes. Torço para que todos alcancem os seus objetivos nesse ano que irá nascer. Que 2018 seja abençoado e nele possamos alcançar o nosso objetivo maior, subir para o especial”.

Gilson Ramalho: “A gente só tem a agradecer o carinho que a comunidade vem demonstrando com o trabalho. Como diz meu presidente, já está na hora de alcançarmos nosso lugarzinho ao sol”.

Botequim da SASP