Home > Escolas de Samba > Águia de Ouro > “Não temos que dar resposta a ninguém, temos que trabalhar muito” – Afirma Mestre Juca

“Não temos que dar resposta a ninguém, temos que trabalhar muito” – Afirma Mestre Juca

Nascido e criado no bairro da Pompéia, Mestre Juca é o exemplo claro de profissional apaixonado pela respectiva agremiação. Além de ritmista, foi compositor e intérprete de apoio até se tornar mestre de bateria, função que exerce desde 1991. Além do Águia, também se manteve três anos como mestre do bloco Mancha verde.

Com cerca de 26 anos a frente da bateria, Mestre Juca nunca mudou as características da batucada da Pompéia, que se mantém desde a fundação da escola. A batida de caixa segue a identidade da bateria da Mocidade Independente de Padra Miguel, do Rio de Janeiro, onde se é usada bastante a mão “ruim”: “O estilo da bateria do Águia é próprio, as nossas afinações são tradicionais, surdo de primeira é grave, o de segunda é agudo e o surdo de terceira agudíssimo. Repiques e tamborins agudos e caixa grave, característica que da uma equalização muito boa” e lamenta “infelizmente tivemos que adiantar um pouco o andamento por conta do tempo de desfile e também do contingente de desfilantes.”

Todas as bossas e desenhos de instrumentos, como o surdo de terceira e tamborim, é feito junto com a equipe de diretores da bateria. Durante os ensaios vão aperfeiçoando essas variações para que o jurado entenda com clareza as frases feitas em cima da melodia do samba.

Em conversa com a equipe da SASP, Juca Guerra também comentou sobre a repercussão do samba da agremiação da Pompéia. “Muito se falou do samba do Águia, muitos criticaram, e hoje essas mesmas pessoas voltaram atrás com a crítica após irem em um dos nossos ensaios. É um samba funcional, a comunidade canta muito. Não temos que dar resposta a ninguém, temos que trabalhar muito, pois será um carnaval disputado. Estamos trabalhando pra fazer o melhor, porque ninguém perde antes de competir”.

A Águia de ouro fechará a primeira noite de desfile, no dia 24 de Fevereiro, homenageando os cães e animais de estimação.

“Podem esperar uma bateria ousada para esse carnaval, faremos muitas bossas coreografadas, recuo diferenciado e muito ritmo para a sustentação do desfile”.

 

Botequim da SASP