Home > Carnavais > Carnaval 2017 > O Canto heroico da Imperador do Ipiranga ecoa na avenida

O Canto heroico da Imperador do Ipiranga ecoa na avenida

O Canto heroico da Imperador do Ipiranga ecoa na avenida

A agremiação foi à sexta escola a desfilar neste domingo de carnaval e apresentou o enredo Ipiranga Berço Esplêndido de um povo heroico. Mauro Xuxa faz sua estreia na agremiação de forma esplendida com a reedição do enredo de 2004 onde a mesma ficou em décima terceira colocação no grupo de elite do carnaval de São Paulo.

Destaque para a bateria que levantou a arquibancada e foi muito aplaudida pelo público com as suas bossas e coreografias.

Comissão de Frente              

Homenageando o bairro do Ipiranga, a comissão de frente veio representando Ypiranga – Inidos Guaianases. A comissão era dividia em dois momentos, o primeiro o Índios e o segundo Ypiranga exaltando as águas barrentas do riacho do Ypiranga. Os bailarinos tinham a missão de apresentar a escola encenando uma dança indígena dos antigos habitantes dessa terra que viviam as margens de um rio de águas avermelhadas e barrentas. Na Língua dos Tupis, os índios deram o nome de “Y” que significa água ou rio e “Piranga” que significa vermelha. A comissão se apresentou adequadamente nas frentes dos jurados e não cometeram falhas durante a sua apresentação.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal de mestre-sala e porta-bandeira Junior Carraro e Suelen Amann, veio representando a Marquesa de Santos e Dom Pedro.  Bem entrosados, o casal veio logo atrás da comissão de frente e passou tranquilamente a avenida sem cometer falhas. A fantasia bem elaborada e luxuosa, retratou muito bem  o enredo proposto.

Samba e Bateria

Comandada pelo mestre Vitor Velloso, a bateria com certeza foi destaque da escola junto com a sua rainha estreante na agremiação Viviane Rodrigues que  estava belíssima a frente de sua bateria. Os ritmistas em uma de suas bossas ajoelharam em frente o setor H na frente do jurado levantando a arquibancada que por sinal aplaudiu muito a bateria. O samba enredo comandado pelo carro de som e composto por Marcinho Queleke, Robson Batuta e Dall Acqua, estava em total sintonia com bateria e mantiveram o seu andamento do inicio ao fim do desfile.

Harmonia e Evolução

Todas as alas e composições das alegorias mostraram que a harmonia estava em dia com agremiação. Todos os setores da escola cantaram o samba enredo e estavam muito bem enfileiradas. A evolução da escola estava tranquila, porém houve um espaço considerável entre o primeiro casal e abre-alas da agremiação, mas a escola manteve o seu ritmo do inicio ao fim do desfile.

Fantasias e Alegorias           

Todas as fantasias e alegorias da agremiação estavam em perfeito acabamento e estavam de acordo com o enredo apresentado. Aparentemente, o abre-alas que representava Ipiranga na memória da cidade e na história nacional apresentou um pequeno problema no setor H ocasionando o buraco entre o casal de mestre-sala e porta-bandeira.

 

Botequim da SASP