Home > Carnavais > Carnaval 2017 > Pérola Negra encerrou as apresentações do Grupo de Acesso do carnaval de 2017!

Pérola Negra encerrou as apresentações do Grupo de Acesso do carnaval de 2017!

Encerrando a noite de desfiles do Grupo de Acesso, a Pérola Negra escola da Vila Madalena levou o enredo Pérola Negra ergue as mangas e põe a mão na massa desenvolvido pelo carnavalesco Anselmo Brito que trouxe um conjunto visual muito bom.

Destaque para a bateria de Mestre Adamastor que chegou a Pérola Negra neste carnaval e reestruturou a bateria da escola. O samba foi levado por Juninho Branco e seu carro de som fazendo uma das melhores apresentações da noite no quesito musical.

O desfile da agremiação seguia bem, mas nos últimos minutos na pista a escola apertou o passo para sair dentro do tempo estipulado no regulamento e encerrou o seu desfile em cinquenta e cinco minutos, o motivo para acelerar os componentes não ficou claro e a escola encerrou seu desfile com cinco minutos a menos do máximo permitido.

Comissão de Frente

Representando a grande criação do universo à comissão de frente apresentou a escola da Vila Madalena, Carlos Teixeira criou uma coreografia ágil para dar mais vida a comissão, apoiado por seis elementos cenográficos. Após a ‘criação do universo’ a escola trouxe a luz, através do seu primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira

Casal de mestre-sala e porta-bandeira

Everson Sena e Gisa Camilo defenderam mais uma vez o pavilhão azul e vermelho da Pérola Negra, com uma luxuosa fantasia, a evolução do casal foi muito entrosada e sincronizada, o casal parecia estar flutuando na pista, no carnaval de 2016 o mesmo não aconteceu. Ambos realizaram um bom trabalho para conseguir a nota dez e ajudar a escola a retornar ao Grupo Especial.

Evolução e Harmonia

Foram dois quesitos que a agremiação da Vila Madalena pecou. O canto da escola não foi regularmente canto por entre as alas, e a evolução se mantinha bem até minutos os minutos finais do desfile. O espaçamento entre as fileiras foi visto constantemente causada pelo aceleramento do passo dos componentes. Com o limite de sessenta minutos, a Pérola encerrou seu desfile em cinquenta e cinco, após regularizar o andamento, a escola terminou seu desfile dentro do limite de tempo previsto no regulamento.

Bateria e Samba

Juninho Branco e seu carro de som levaram o samba composto por ele, Tigrão, Rodrigo Atração, Marcelo Soares e Thiago SP no desfile oficial da escola. Seguindo com o trabalho realizado em seus ensaios a parceira entre carro de som e bateria foi sem dúvidas um dos sucessos que a escola conseguiu neste desfile oficial, as bossas realizadas foram muito bem sustentadas pela bateria e apoiadas pelo carro de som.

Enredo

Depois do décimo terceiro lugar obtido em 2016, e consequentemente o rebaixamento, a Pérola Negra contratou o carnavalesco Anselmo Brito para desenvolver o desfile deste ano. O enredo levava o público a viajar pelo mundo das massas, desde seus primeiros indícios até as escrituras religiosas, passando por fenômenos naturais à criação do homem. A leitura público foi clara, o conjunto alegórico e das fantasias foi um dos pontos fortes do desfile oficial da escola.

Alegoria e Fantasias

Muito elogiada no conjunto visual, a Pérola trouxe carros com cores expressivas a fim de se sobressair no desfile que da fez com o sol nascendo no Anhembi. As fantasias apresentadas pelo quadro de casais oficial das agremiação arrancou suspiros do público, outro destaque foi para a ala das baianas da escola. Entretanto, em algumas alas, componentes desfilaram com suas fantasias danificadas, ou com sapatos diferentes dos demais que se encontravam na mesma ala.

Botequim da SASP