Home > Escolas de Samba > Acadêmicos do Tatuapé > Tatuapé contagia sambódromo com clima afro e realiza ensaio de alto nível

Tatuapé contagia sambódromo com clima afro e realiza ensaio de alto nível

A Acadêmicos do Tatuapé abriu os ensaios técnicos na noite de domingo, dia 05 de fevereiro, com presença forte da comunidade. O clima era contagiante já no hino da agremiação, e se manteve até o encerramento do treino.

A Comissão de frente fez a sua coreografia oficial, performance segura e pouca arriscada marcaram a ala. A coreógrafa Mônica de Oliveira, nota máxima no último carnaval, é bastante reconhecida pelo sincronismo e segurança imposta pelos seus dançarinos.

VEJA AS FOTOS DO ENSAIO

Atrás da ala coreografada virá o gigante abre-alas, com cerca de 50 metros. As alegorias da escola prometem surpreender com a grandiosidade, cerca de cinco serão apresentadas na avenida.

Além da parte visual, a Tatuapé surpreendeu com a harmonia, muitos componentes cantando e evoluindo durante o trajeto do sambódromo. O experiente intérprete, Celsinho Mody, realizou um grande ensaio, assim como a ala musical, que diversas vezes paravam para deixar os componentes cantarem: “Não adianta eu cantar e fazer melisma, o samba é arte do povo, deixa o povo cantar. Eu estou estudando muito, me dedicando muito. O engenheiro estuda, administrador estuda e o cantor também tem que estudar.”. declarou Celsinho Mody.

A Qualidade Especial, do Mestre Higor, foi um grande destaque da agremiação. A bateria realizou bossas, e até apagões na passagem do primeiro refrão, não deixando a qualidade da batucada cair, e levantando o público presente.

Dentre os ensaios técnicos de São Paulo, a Acadêmicos do Tatuapé foi uma das que realizaram o ensaio mais regular: “Eu gostei muito do ensaio, achei que ficou muito perto daquilo que tudo que a gente ensaio e combinou. A gente não tem o que esconder, tudo que tínhamos pra fazer, fizemos no ensaio”. – afirma Presidente Eduardo.

O casal de mestre sala e porta-bandeira, Diego e Jussara, realizou uma dança segura, com a presença mais forte de minueto, cortejo, em seu bailado: “Incluímos o minueto de maneiras diferentes, simplificando para os jurados, mas com uma característica nossa” – argumentou o casal.

A entidade será a quarta escola a desfilar na noite de sexta-feira, dia 24 de Fevereiro, com o enredo: Mãe África conta a sua história: Do berço sagrado da humanidade à abençoada terra do grande Zimbabwe, do estreante carnavalesco Flávio Campello.

Botequim da SASP