Home > Carnavais > Carnaval 2018 > “É samba pé no chão!”. Parceria de Kaska conquista o tri na disputa da Nenê de Vila Matilde

“É samba pé no chão!”. Parceria de Kaska conquista o tri na disputa da Nenê de Vila Matilde

Spread the love

Mais uma escola do Grupo de Acesso definiu seu samba-enredo para o desfile do ano que vem. Após uma grande festa que invadiu a madrugada deste domingo, 6, na Zona Leste paulistana, a Nenê de Vila Matilde escolheu a obra de Kaska, Silas Augusto, Zé Paulo Sierra, Vitão, Léo do Cavaco e Luis Jorge como o hino que irá embalar o desfile da Azul e Branca em 2018. No próximo carnaval, a Águia Guerreira levará o continente africano para o Anhembi com o enredo “Epopeia Africana”, que será desenvolvido pelo recém-chegado carnavalesco Lucas Pinto (que no último carnaval foi o responsável pelo retorno da X9 Paulistana para o Grupo Especial).

OUÇA AQUI O SAMBA-ENREDO DA NENÊ DE VILA MATILDE EM 2018

Antes das três parcerias subirem ao palco para as apresentações na decisão de samba da Nenê, houve espaço para a tradicional roda de samba com a Ala de Compositores e a apresentação show da Azul e Branca. Além da presença e apresentação de todos os segmentos da agremiação, uma encenação com a mostra do que será contado pela Nenê no Anhembi em 2018 foi apresentada à comunidade.

Três obras subiram ao palco na decisão de samba da Nenê e cada uma teve uma hora para se apresentar (15 minutos de marcação e 45 minutos com a bateria). A primeira delas foi a de número 2 (Juninho da Vila e cia).  Comandada por Daniel Collete (intérprete oficial da Pérola Negra), a obra contou com o menor contingente de torcida da noite e teve um desempenho regular na apresentação. Logo na sequência, a única obra que contava com apenas um compositor. Com uma torcida um pouco maior que a do primeiro samba, a obra assinada por Tonn Queiroz tentava repetir o feito que na Nenê não ocorria desde 2005, quando Marco Antônio compôs sozinho o samba-enredo da escola para aquele carnaval. A obra de Tonn foi defendida por Rodrigo Attração e teve um desempenho bastante satisfatório na quadra, incluindo o apoio de alguns membros da diretoria.

Porém, o samba vencedor da noite foi exatamente o último a subir ao palco. A parceria de Kaska, que já havia vencido a disputa nos dois últimos carnavais (Cláudia Raia e Curitiba), teve um desempenho muito satisfatório. A obra foi interpretada por Fredy Vianna (Mancha Verde) e Jorginho Soares e, assim como a anterior, teve um bom rendimento entre os segmentos da agremiação, além de contar com o apoio de membros da diretoria, que cantavam a obra. Pouco antes das 6h, a decisão da agremiação foi anunciada. Pela terceira vez na história, a parceria comandada por Kaska irá representar a Azul e Branca com um samba na Avenida.

Com o enredo “Epopeia Africana”, a Nenê de Vila Matilde será a terceira escola a desfilar no domingo de carnaval, no Sambódromo do Anhembi. A escola busca a recuperação no cenário do carnaval paulistano, após o rebaixamento no último carnaval e tenta buscar uma vaga na elite da folia paulistana em 2019.

Botequim da SASP