Home > Carnavais > Carnaval 2024 > Resumo do primeiro final de semana de ensaios técnicos no Anhembi

Resumo do primeiro final de semana de ensaios técnicos no Anhembi

Spread the love

Se você perdeu tudo que rolou no sambódromo do Anhembi no primeiro final de semana de ensaios técnicos, confira abaixo um resumão feito pela equipe SASP:

SEXTA 12/01

Debaixo de muita chuva, as três agremiações abriram a temporada de ensaios no Sambódromo na noite da última sexta-feira (12). Os treinos contaram com boa presença das três comunidades.

A Dom Bosco de Itaquera foi a primeira escola a entrar na Avenida sob um forte temporal. Destaque para o bom entrosamento entre a Bateria Gloriosa, comandada por mestre Bola, e o carro de som comandado de Rodrigo Xará e toda ala musical.

Segunda escola a entrar na pista, a Colorado do Brás fez uma boa apresentação. O treino marcou a estreia de mestre Acerola de Angola a frente da bateria da escola. O destaque positivo foi para o trabalho de harmonia da agremiação.

De volta ao Anhembi, a Unidos de São Miguel fechou a primeira noite de testes com boa apresentação. Animados em seu retorno ao Sambódromo, os integrantes e segmentos da escola da Zona Leste fizeram um bom ensaio, embalados por um dos melhores sambas da safra do Acesso 2.

SÁBADO 13/01

Com muita alegria, arquibancadas cheias e uma energia incrível, o sábado foi agitado no Sambódromo do Anhembi.

O Camisa Verde e Branco fez um ensaio para mostrar que o seu lugar é no Especial. O samba, um dos mais elogiados do pré-carnaval, foi bastante cantado pela comunidade da Barra Funda e o intérprete Igor Vianna foi um dos bons destaques da apresentação da escola.

A Unidos de São Lucas também fez um bom ensaio nesta sua volta ao Anhembi. Os componentes mostravam a felicidade em agora estar no Acesso 2.

Em seguida tivemos a Torcida Jovem e destaque para a bateria do Mestre Caverna, que tirou onda na avenida e marcou essa sua estreia no Acesso 1. A escola levou poucos componentes para esse primeiro ensaio. Apenas a comissão de frente, casais, bateria e poucas alas estiveram presentes.

A Unidos de Vila Maria, que neste ano desfilará pelo grupo de Acesso, cantou bem o samba junto com o estreante Royce do Cavaco, cantor principal da escola.  O ponto alto foi a bateria Cadência da Vila, comandada por Mestre Moleza, com bossas muito bem executadas.

A Barroca Zona Sul trouxe uma homenagem ao Geraldo Sampaio Neto, o Borjão, presidente de honra da escola, falecido recentemente. Todos os componentes usavam uma camiseta com o seu nome. Seu ensaio foi emocionante e a escola toda tinha o samba na ponta da língua, que conta os 50 anos da escola.

A quinta escola da noite, a Independente Tricolor, trouxe um ensaio grandioso, com destaque para harmonia e evolução. A agremiação também cantou e dançou com muita força, mostrando que os quesitos evolução e harmonia estão preparados para o desfile oficial.

Levando um contigente de desfile oficial, a Vai-Vai sacudiu o Anhembi em seu primeiro ensaio. A escola, que tem como enredo os 50 anos do Hip-Hop, cantou demais, fez um ensaio empolgante e mostrou porque está de volta ao Especial. O destaque foi a bossa Rap da bateria Pegada de Macaco, comanda pelos mestres Tadeu e Beto.

Terminando a noite, a Tom Maior que tinha uma boa expectativa do seu samba, o viu acontecer na avenida, junto com a bateria Tom 30, comandada por mestre Carlão, que tem é o presidente da agremiação. Embalados pelo samba, os componentes da escola cantaram e evoluíram com muita vontade, fazendo a escola ter um grande ensaio.

DOMINGO 14/01

Em um domingo de muito calor em São Paulo, cinco agremiações passaram pelo sambódromo do Anhembi.

A Rosas de Ouro entrou na pista às 16h, com os termômetros marcando 32 graus. Apesar do extremo calor, a escola fez um bom ensaio, com destaque para a bateria com Identidade, de mestre Rafa. Por conta da temperatura, alguns componentes da escola passaram mal e foram atendidos pelos profissionais de saúde presentes no Anhembi.

Quem também sofreu com o calorão foi a Imperatriz da Pauliceia, que desfila pelo grupo de Acesso 2. A escoa levou um bom contingente de componentes. O intérprete Alessandro Tiganá conduziu muito bem o ensaio da entidade.

Desfilando pelo Acesso 1, a Terceiro Milênio levantou as arquibancadas do Anhembi com o paradão da Bateria Pegada da Coruja. O canto foi outro destaque da comunidade.

A Dragões da Real começou o ensaio homenageando Vitor Divinal, cantor da ala musical da escola que faleceu na primeira semana do ano. O samba funcionou muito bem e a comunidade o cantou com muita força. A comissão de frente, com um grande elemento alegórico, despertou a curiosidade do público presente.

Em busca do bicampeonato, a Mocidade Alegre entrou na avenida para um ensaio extremamente técnico e poucos erros. A escola levou palanques para indicar as componentes o posicionamento dos novos módulos de Jurados.

Finalizando a noite, a Império de Casa Verde sacudiu o Anhembi com sua apresentação. A homenageada do enredo, a cantora Fafá de Belém, caiu no samba e brincou bastante com os componentes da escola.

Botequim da SASP