Home > Carnavais > Carnaval 2018 > Saiba como foram as apresentações do Grupo Especial na festa do CD

Saiba como foram as apresentações do Grupo Especial na festa do CD

Spread the love

Noite de grandes apresentações na Fábrica do Samba e a sensação de que o carnaval está cada vez mais próximo. Tatuapé, Dragões da Real, Vai-Vai, Império de Casa Verde, Mocidade Alegre e Rosas de Ouro se destacaram na noite que comemoramos o Dia Nacional do Samba.

VEJAS AS FOTOS DAS APRESENTAÇÕES DO ESPECIAL

Acadêmicos do Tatuapé: a atual campeã do carnaval mostrou que o título de 2017 não foi em vão. Com excelente receptividade do público, a Azul e Branca fez uma das melhores apresentações da noite e teve como pontos altos o excelente trabalho de harmonia – com o canto forte – e o cantor Celsinho Mody, que a cada dia tem mostrado o porque é um dos melhores intérpretes do país.

Dragões da Real: a Escola de Gente Feliz mostrou o porque é considerada uma das favoritas ao título em 2018. Com o intérprete Renê Sobral inspiradissimo e um canto muito forte da comunidade, a Dragões mostrou a organização costumeira e um excelente trabalho de harmonia.

Vai-Vai: contando com o sempre incondicional apoio do povo, a escola do Bixiga manteve sua tradição de grandes apresentações. A intérprete Grazzi Brasil mostrou bastante sintonia com o público presente e teve um grande desempenho no microfone principal da agremiação alvinegra. O cantor Belo, que gravou a faixa oficial do CD, não compareceu. Tanto o público presente com a receptividade, como o trabalho de canto da comunidade merecem destaque.

Império de Casa Verde: com a organização que lhe é característica, a Império fez uma das melhores apresentações da noite. Carlos Jr, mais uma vez, se destacou ao lado dos ritmistas da Barcelona do Samba. Destaque também para boa parte dos integrantes com adereços e até fantasias completas, que deram um ar ainda mais intenso de desfile oficial a apresentação da agremiação.

Rosas de Ouro: com um dos mais elogiados sambas da safra, a Roseira foi mais uma agremiação que se destacou positivamente na noite de samba. Royce do Cavaco mostrou a categoria de sempre no comando do time de canto e os componentes corresponderam com bastante empolgação durante a apresentação. Destaque para a bela homenagem a mãe da presidente Angelina, que faleceu na última semana, e foi bastante aplaudida pelo público presente após o minuto de silêncio.

Mocidade Alegre: a maior campeã dos últimos dez anos em São Paulo deixou uma excelente impressão a quem acompanhou a festa na Fábrica do Samba. Levando a sério a ideia de mini desfile, a Morada do Samba teve um desempenho bastante satisfatório, com destaque positivo para a utilização de diversas fantasias de outros carnavais para dar “cara de desfile” e um bom trabalho de harmonia.

Unidos de Vila Maria: última escola a se apresentar na Fábrica do Samba, a Vila Mais Famosa teve o desempenho da bateria Cadência da Vila como ponto alto da apresentação. Os comandados por Mestre Moleza mostraram, com bastante ritmo e bossas bem trabalhadas, o porque estão no hall das melhores baterias do país.

Acadêmicos do Tucuruvi: terceira a se apresentar dentre as escolas do Grupo Especial, o Zaca fez uma apresentação regular na Fábrica do Samba. Destaque positivo para o desempenho satisfatório do quesito harmonia e para o belo bailado desenvolvido pelo casal Kawan e Waleska ao logo da pista de mini desfile.

Gaviões da Fiel: considerado por muitos como o melhor samba do Grupo Especial, o samba do Gaviões, bem como seu rendimento, foi o ponto alto da apresentação corintiana. Destaque também para o bom desempenho da bateria Ritimão, que apresentou um andamento bastante confortável.

Mancha Verde: samba, harmonia e casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira foram os destaques do mini desfile alviverde. Fredy Vianna e o competente carro de som da Mancha deram o tom da boa apresentação e contribuíram para o bom desempenho. Marcelo e Adriana, utilizando a vestimenta do do ano anterior, foram bastante aplaudidos e mostraram a já tradicional beleza do bailado do casal, um dos melhores do carnaval paulistano.

Unidos do Peruche: a primeira impressão da homenagem a Martinho da Vila é de que o canto forte será a marca do carnaval perucheano. O samba teve um desempenho bastante satisfatório e agradou. Com muitos componentes, a Peruche acabou ultrapassando o limite de 20 minutos, mas como era dia de festa e não vale ponto, sem problemas para a nação perucheana.

Tom Maior: o samba funcionou, Bruno Ribas colocou sua marca e a Tom Maior fez uma apresentação bastante positiva na festa do CD. Com um bom e animado contingente, a Vermelha e Amarela surpreendeu positivamente e mostrou, pelo menos no que era possível avaliar nas apresentações na Fábrica, que tem condições para melhorar e bem sua colocação ao final do carnaval.

X9 Paulistana: a tricolor da Parada Inglesa fez uma apresentação regular na Fábrica do Samba. Destaque positivo para a bateria Pulsação Nota 1000, dos mestres Kito e Fábio, que desde que assumiram o posto vem melhorando cada vez mais o quesito para a escola.

Independente: a estreante no Grupo Especial mostrou suas credenciais e fez uma boa apresentação na Fábrica do Samba. Organizada e aguerrida, a agremiação foi bem no quesito harmonia e na bateria de mestre Klemen. Destaque também para os membros da comissão de frente, muito bem caracterizados como personagens de filmes de terror.

Botequim da SASP