Home > Carnavais > Carnaval 2017 > “Tivemos uma boa recepção, mas ainda tendo que provar que seriamos capazes” – disse Mestres da X-9.

“Tivemos uma boa recepção, mas ainda tendo que provar que seriamos capazes” – disse Mestres da X-9.

Spread the love

Após a saída do Mestre Vitor da Candelária, muitos se surpreenderam com a decisão da X-9 Paulistana em anunciar Fabio Américo e Kito Ferreira como principais comandantes da bateria. Ambos carregam quase vinte e sete anos de vivência no carnaval até se tornarem mestres.

Fábio começou sua trajetória na escola da Bela Vista, Vai-Vai, onde permaneceu por oito anos. Em 1999 se tornou ritmista da X-9 Paulistana e Acadêmicos do Tucuruvi, e em cinco anos depois assumiu a diretoria da bateria da Parada Inglesa, cargo que cumpriu até 2011. Depois disso teve passagens como diretor pela Tucuruvi e Dragões da Real, até que em 2016 recebeu o convite de assumir a bateria da X-9 Paulistana:

A recepção foi tranquila, pois já estava na escola há 18 anos. Como em toda escola, existe alguns opositores, ainda mais que último carnaval estávamos fora da escola, mas a diretoria acreditou desde o início e bancou a nossa vinda. Graças a Deus está dando super certo”.

Kito se lançou no carnaval através da Mocidade Alegre, e só em 1997 entrou pra bateria, tocando tamborim na X-9 Paulistana. Assim como Fábio, Kito também teve passagens como diretor da X-9, Tucuruvi e Dragões da Real, e fez um trabalho paralelo como diretor de tamborim na Imperador do Ipiranga.

Como temos histórico de títulos e boas colocações… Tivemos uma boa Recepção pela parte da escola, mas ainda tendo que provar que seríamos capazes de dirigir a bateria”.

A bateria da X-9 Paulistana teve algumas alterações em comparação ao ano passado. Abaixaram a afinação dos instrumentos de marcação, o desenho do surdo de terceira está sendo trabalhando no contratempo e a batida de caixa foi alterada para um estilo mais repicado, tendo dois tipos, a de doze e de quatorze polegadas, dando mais sustentabilidade para a bateria.

Fábio diz: “Trabalhamos muito em conjunto com nossos diretores, todos opinam, todos criam. Graças a Deus nossos diretores são capacitados e todos conhecem instrumentos e o dominam muito bem”.

A diretoria da Pulsação Nota Mil é formada por:

Dezinho,Osmar e Danilo (Surdos), Tica (tamborim), Thamirys (Chocalho), Gabi (agogô), João de moura (Cuíca), Pequeno, Diego e Barata (caixas), Tomate (Repique) e Rafaella (Surdo de terceira).

“Acreditamos que quando todos fazem parte de um projeto, mesmo sendo com percentuais diferentes, você se sente dono daquilo e trabalha com mais comprometimento – complementa Kito.

A batucada da Parada Inglesa sofreu com influências de diferentes mestres que passaram pela agremiação. De 2013 para 2016, foram três diretores gerais diferentes.

“Conseguimos recuperar o nosso estilo de bateria, estilo imposto por mestre Adamastor lá nos anos 2000, e que o mestre Augusto e Tornado mantiveram. Característica própria pela batida de caixa e andamento maneiro” – Fábio ainda acrescenta: “Muita gente estava fora e conseguimos trazer os ‘crias’, muitos voltaram com característica jovem, alegre e com um astral irradiante”.

X-9 Paulistana será a quinta escola a desfilar na noite do grupo de acesso, dia 26 de fevereiro, no sambódromo do Anhembi. A agremiação levará para avenida o enredo Vim, Vi, Venci – A Saga Artística de um Semideus, que homenageará o pintor Inos Corradin.

“Iremos fazer bossas coreografadas agradecendo o nosso homenageado. Podem esperar uma pulsação nota 1.000 com muito, mas muito trabalho, energia, alegria e com vontade de resgatar a nota máxima” – finalizou Kito.

Confira o áudio da Bateria Pulsação Nota Mil em seu segundo ensaio técnico:

 

Botequim da SASP