Home > Carnavais > Carnaval 2019 > A SASP acompanhou a gravação dos 11 sambas concorrentes da Mocidade Alegre 2019

A SASP acompanhou a gravação dos 11 sambas concorrentes da Mocidade Alegre 2019

Spread the love

O lema deixado pela Mocidade Alegre no último carnaval, continua vivo na agremiação: não deixar o samba morrer, é o que pretende a Morada do Samba em sua nova aposta para o carnaval 2019. Acostumada a sair na frente no quesito inovação, a escola optou por um formato atrativo para suas eliminatórias de samba-enredo, tentando manter viva esta tradição no samba.

Percebendo os altos custos que os compositores possuem com as eliminatórias, e a diminuição de participantes nas competições de samba-enredo, a Mocidade Alegre optou em realizar a gravação de todas as composições para seus poetas. Além disso, a escola inova mais uma vez realizando a gravação de todos os clipes e divulgação completa de todas as composições.

Sendo assim, no último final de semana, em um clima de muita harmonia, e de resgate da história do samba paulista, a Morada reuniu os compositores das 11 obras recebidas, e realizou a gravação em um estúdio montado na sala da bateria Ritmo Puro. As gravações tiveram as participações do intérprete Igor Sorriso, do Mestre Sombra e sua bateria, além do produtor musical Marcelo Lombardo, que acompanhou passo a passo todo o processo.

O Mestre Sombra falou com a SASP sobre os desafios em realizar as gravações na quadra com a bateria. “Ter este primeiro contato já com os sambas é muito importante, este é um grande desafio. Estas gravações estão atendendo nossas expectativas, você poder fazer a base do samba aqui e gravar, e ter o contato com os compositores, intérpretes e músicos, é uma experiência nova e um trabalho de preservação do samba, tentar voltar um pouco para atrás, e colocar algumas composições em pé de igualdade, é muito importante”.

Tendo em média uma hora e meia a elaboração de cada faixa, o processo consistiu na gravação da bateria com ala musical (intérprete, cavaco, cordas), coro geral, intérprete aplicando sua voz solo, e por fim o acréscimo de cacos, gritos de guerra e mensagens. O processo final de cada obra será finalizado em um estúdio, onde será realizado apenas a mixagem preservando sempre o áudio original conforme informação do produtor musical.

“A grande experiência foi de nós podermos voltar as raízes do samba, tivemos dois dias de gravações, onde vimos uma resenha dos compositores em um espaço novo, com roda de samba, compositores cantando um o samba do outro, transformando tudo isso em uma resenha muito gostosa. A experiência de ter um estúdio improvisado, mas com uma acústica muito boa, com qualidade, e ter este investimento por parte da escola em uma mesa nova de som, é realizar um desejo que já tínhamos, igualar todos os sambas no mesmo nível. Como preservamos a raiz do samba, e lógico respeitando todas as co-irmãs, queremos lutar para continuarmos as eliminatória”, avaliou um dos organizadores do projeto, Júnior Dentista, que é membro da direção de Harmonia da escola.

As eliminatórias da Mocidade Alegre começam no próximo dia 12 de agosto, e os sambas devem ser divulgados nas próximas semanas. O tema da escola para o carnaval 2019 é Ayakamaé: As Águas Sagradas do Sol e da Lua.

Botequim da SASP